Pesquisar este blog

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Então tá né !!?!

Revendo meus posts percebi que não falo de outra coisa a não ser minha gravidez. Bem que tento vir aqui e postar sobre comida (estou cozinhando muito pouco, mas daria pra postar), sobre o tempo, sobre a política ou sobre decoração e artesanato. Mas quando abro a caixa de postagem me deparo com mais um post sobre gestação. Portanto, como não consigo fugir do assunto, pelo menos devo falar sobre coisas realmente dignas de serem lidas, não é? Por isso, hoje vou falar sobre a minha primeira gravidez. Será um assunto mais pertinente pra quem está nesse mesmo universo que eu, já que quem passou dessa fase vai achar a conversa meio monótona e sem interesse, por isso, quero pedir desculpas antecipadas às amigas que frequentam o meu espaço e que já passaram ou que ainda não entraram nessa fase.
Engravidei da Kiara quando já estava com 28 anos. Casei aos 19 !! E se me perguntam: estava preparada pra ter um filho? digo NÃO. Aliás, nem sei o que é isso. Acho que a gente nunca está o suficiente preparada pra encarar a maternidade. Tive milhões de medos. Fiquei ansiosa, tive insônia, comprei coisas pro enxoval como louca e não parei quieta um minuto.
Quando estava de 32 semanas de gestação (o mesmo tempo que estou agora) senti enjoos e tive vômitos. Minha sogra me implorou pra eu ir ao médico. Fui. Estava com 2 dedos de dilatação. Fui internada, tomei as injeções de corticóide, remédios pra segurar o bebê, estava com infec'~ao urinária, anemia, placenta já madura e líquido amniótico secando. Depois de muitos exames e 3 dias de internação fui liberada pra vir pra casa, mas tinha que ficar em repouso absoluto. Três semanas depois a serelepe nasceu. Era manhã de Natal. A família estava toda reunida. Na noite anterior havíamos feito uma ceia e estávamos programando o almoço do dia 25.
Fui pro hospital assim que acordei porque durante toda a noite não havia sentido o bb mexer. Pela manhã pedi ao marido que ligasse pra minha obstetra e dissesse o que estava havendo. Ela pediu que a gente fosse ao hospital. Até esse momento eu não estava me tocando de que a Kiara iria nascer. Fiquei meio tonta com tudo que estava se passando. Pra mim, iria apenas fazer alguns exames e voltar pra casa, mas não foi o que aconteceu. Quando dei por mim, já estava sendo anestesiada. Em menos de 30 minutos que cheguei ao hospital a Kiara nasceu. Tinha uma mulher que estava desde a noite anterior em trabalho de parto e tiraram ela do centro cirúrgico pra eu poder entrar.
O que mais me assustou foi quando disseram: prepare-se, agora vamos tirar o seu bb. O anestesista irá atrás de você, pra ajudar a empurrar a sua barriga. Até aí tudo bem. Mas de repente, fez-se o silêncio. Havia 7 pessoas no centro cirúrgico, todos falando alegremente sobre os presentes e a ceia da noite anterior. A anestesista contava a história de quando fez plástica no bumbum (hilária, por sinal). Quando tiraram a Kiara de mim tudo mudou. Ela não chorou. Eu perguntava o que estava acontecendo e não recebia respostas. Ouvia apenas uma frase: é procedimento normal, não se preocupe. Comecei a chorar, a pedir por minha filha, porque ela não tinha chorado, porque não a colocaram sobre mim e ninguém parecia me ouvir. Eu só ouvia burburinhos que não conseguia entender. Estava bem tonta, não sei se por medo, por nervosismo, por efeito da anestesia. Só sei que logo depois disso apaguei.
Em algum momento acordei. Não estava mais no centro cirurgico. Não tinha ninguém ao meu lado ou por perto. Acho que, por ser Natal, estavam trabalhando com o número reduzido de funcionários. Percebi que me estacionaram num estacionamento de macas, porque do lado esquerdo e do lado direito tinha macas vazias. De onde eu estava enxerguei o centro cirurgico e tinha alguém lá sendo operado, mas eu não consegui decifrar o que era. Apaguei de novo.
Bom, pra resumir a história, só me levaram pro quarto 3h depois da cesária. Cheguei lá muito tonta. Não dizia coisa com coisa (pelo menos é o que eu me lembro). A minha filha não estava lá. Fui conhecê-la só no dia seguinte. Ela estava na UTI. Nem usaram a roupinha que eu havia separado pra ser a primeira. Me levaram até ela de cadeira de rodas - terrível - me senti uma inválida. A sensação de vê-la foi dúbia. Estava feliz de ver minha filha viva, mas estava triste de ver minha filha entubada. É terrível. O primeiro contato foi emocionante. Pude por a mão dentro da encubadora e fazer um carinho nela.

Tive que voltar pro quarto e ficar esperando até que ele começasse a reagir ao tratamento pra eu poder alimentá-la. Quando ela pudesse sugar e engolir sem a ajuda dos aparelhos iriam me chamar. Na realidade eu queria ficar ali o tempo todo ao seu lado, mas não me deixaram.

É um vazio imenso ficar num quarto de hospital, após o parto, sem ter o seu filho nos braços. Eu não quis visitas. Deixei ordens na recepção de que o médico não havia autorizado a entrada de pessoas que não fossem da família. Naquele momento eu não queria ter que ficar contando e repetindo pra cada um que entrasse no quarto a minha história e nem queria ouvir uma outra pessoa falando sobre isso. Ainda bem que era Natal e as pessoas quase nem ficaram sabendo que a Kiara tinha nascido. Só depois do ano novo, quando já estávamos em casa é que relaxei e o marido começou a ligar pros amigos e a contar pras pessoas que sua bbzinha tinha nascido e estava bem, em casa.
Por tudo isso que eu tenho um medo horrendo de que o Adriel venha a nascer antes do tempo. E só por isso que estou me cuidando muiiiiiiiiiiiiiiito, estou fazendo tudo que não fiz na gestação da Kiara. Portanto grávidas, levem bem a sério a gravidez, por mais que ela seja tranquila.
Me alonguei por demais, aff, nem sei se eu mesma leria esse texto rs !!!

18 comentários:

HAZEL disse...

Li o relato todo. Nem imagino o teu medo, angústia, sofrimento...!
Ainda bem que tudo acabou bem.

Mas lá porque da 1ª vez não foi fácil, não quer dizer que haja problemas da 2ª. Nada disso mesmo.

A minha mãe teve muitos problemas quando o meu irmão nasceu. E depois quando nasci eu, ela contou que foi rápido e muito fácil.

Vais ver que vai ser igual contigo amiga. Vais ter uma linda história para nos contar.

Até lá... usa e abusa do sofá!!
Descansa, lê muito sobre puericultura e aproveita estes dias tão bonitos.

Ana Carla Benet disse...

Vivian, passei pela mesma coisa ... sei bem do que vc está falando.

Hoje nem parece que minha pimpolha nasceu de 35 semanas !!! Graças a Deus.

:o)

ameixa seca disse...

Bom, eu li tudo e dá medo mesmo. Eu estou a caminho dos 28 e nem penso ser mãe de ninguém, nem sequer me sinto preparada. Também me falta estabilidade profissional e pessoal... mas acho que depois de ter deve ser muito bom ser mãe. Ainda bem que aprendemos com os erros do passado, né?
Força e continua :)

Fátima disse...

Com todos os cuidados que você ta tomando Vivian, com certeza você não terá problemas, e que a nossa senhora do bom parto ti proteja, eu acredito muito na proteção divina. Beijos! :D

Fernanda disse...

Oie...
fica tranquila não é pq a primeira experiência deixou traumas que será igual na segunda!!!!!
Com certeza as coisas sairão dentro do previsto e em breve (mas não tão breve assim) o seu querido bebê estará aí do seu ladinho!!!!
Beijos

Ju Gonzalez disse...

Nossa, revivi o parto da minha segunda filha!!! Tudo igualzinho, as mesmas sensações.Dá um vazio, né? Fique tranquila pois tudo vai dar certo, e se prepara pois o segundo filho é totalmente diferente do primeiro! Boa sorte!!

Claudia disse...

Vivian, uma gravidez nunca é igual à outra. Entendo perfeitamente seu medo, mas não há nada que indique que tudo isso pode acontecer novamente. Minha filha levou 17 horas pra nascer e ainda assim, foi parto normal, já meu filho, nasceu de cesária e foi rapidinho, inclusive a minha recuperação e o retorno pra casa. Eu, que era uma defensora ferrenha do parto normal, hoje sei que o que deve ser feito é o que for melhor pra gente, né?
Acho que o que vc sofreu te faz sentir medo da estória se repetir, mas desejo de coração que o Adriel venha ao mundo da forma mais tranquila possível e que seja lindo, saudável e muito sapeca!

beijos

Elen disse...

Eu li até o final e tenho uma imagem de vc: vitoriosa!!!

Passou por tudo e saiu com sua benção...

E agora terás mais um vitória: seu menino...

Torço por vc!!!

Abraços cheirosos

dona perfeitinha disse...

Vivian!
Tô aqui com os olhos cheios d'água. Você realmente teve um parto atípico com a Kiara, né? E souberam enfrentar bem a situação. Que linda menina ela é e que linda mãe ela tem. O Adriel vai chegar numa família maravilhosa e ele vem com muita saúde, com certeza.

Um beijo grande,
Talita.

Clau disse...

Oii vivian querida, não achei longo nada, assim como vc tb estou grávida, de 16 semanas e no começo eu achava q era bobagem se cuidar, mas com 6 semanas tive ameaça de aborto e desde esse dia comecei a me cuidar muito muito e graças a Deus minha gravidez está sendo bem tranquila...

Uma beijoca
Clau

Cláudia M. disse...

Vivian
tb li o texto todo, sim! :)

vai ver que se vc se cuidar bem, desta vez vai correr tudo melhor, afinal agora vc já tem experiência! :))

eu só tive uma filha, que nasceu no tempo certo, mas o parto foi um bocadito complicado, mas tudo passa, já lá vão 8 anos. (Eu já tinha 34, e mesmo assim não estava preparada!!)

Ri muito aqui com a "serelepe", essa palavra é engraçada demais.

Tudo de bom pra vc.

bjs

Juliana! disse...

Nossa Vivi, que barra você passou heim! Mas graças a Deus ficou tudo bem com vc e com a Kiara.
Esse post caiu como uma luva para mim, estou com 32 semanas de gestação e com a placenta amadurecida já no nível 2. Sou muito agitada e não parei um minuto...mas agora me deu um medinho sabe. Acho que vou ficar quietinha, não que já não tenham me feito essa recomendação, o problema é que sou teimosa.rsrsrsrs...
Seu pequeno Adriel vai nascer no tempo certo forte e saudável! Se Deus quiser!
Bjs

angela disse...

filhos são diferentes um do outro desde que estão na barriga, fique tranquila, tudop dará certo. beijos!

Carol disse...

Vivian,

Além de compartilhar, que isso sirva de alerta. Como já sabe, também estou gravida, 21 semanas, e está sendo uma benção, super tranquila. Mas a gente precisa se cuidar. Qualquer coisa que acho que está fora do normal, ligo para meu obstreta também!Não pego peso, nao subo em escadas e quando acho que preciso vou descansar e ponto. Gravidez não é doença, mas necessita de cuidados!!
E para você, muita paz e serenidade, tudo dará certo!!
beijos

Neyma disse...

Vivian querida,
Que primeira vez traumática, não é? Mas fique tranquila pq uma gravidesz nunca é igual a outra. Com certez desta vez vai dar tudo certo e seu filhinho vai nascer cheio de saúde!!
Também casei com 19 anos, só que tive meu primeiro filho aos 20, não tive grandes problemas ao não ser por ter nascido depois do tempo e ter feito cesariana, pois o menino não queria nascer!! Costumo dizer que é pq foi feito na Bahia e por isso não tinha nenhuma pressa...hahahahaha!!!
Muitos bjs

Flávia disse...

Você é linda demais e acabou de me deixou uma mensagem super fofa e carinhosa e eu estou mega em falta com vc.
Só para ter idéia estou até agora em frente ao micro porque estou trabalhando como uma camela...
Me manda seu email? fsacilotto@gmail.com
Assim escrevo com mais calma.
Espero que esteja tudo bem aí!
Um beijo

BRUXINHA disse...

olá Vivian. Li tudinho viu e pensei que vc deve ter sofrido muito ao ver sua filha entubada. Eu passei por isso maiso ou menos, um pouco menos au acho,e vim embora pra casa sem minha filha na primeira vez, ela ficou e foi horrivel. Mas uma é diferente da outra e vc vai ver que tudo vai dar certo, fique tranquila, o pior pense que já passou .
Quando vc me visitou no blog e sugeriu a cortininha eu já havia pensado em fazer e fiz, ficou legal né, é de tirinhas e fiz combinando com as caixinhas , eu adorei. Ainda não postei uma visão geral porque como quebramos o espelho tenho que termina-lo. Depois vou fotografar e mostrar as duas partes do armario com as cortininhas .
Um beijo e fica com Deus .

Ju disse...

Vivian,
apesar de você dizer que o post estava longo demais, li num piscar d olhos.
Muito emocionante a sua historia de vida!!E apesar de nao estar gravida,gostei muito do post sobre amamentação.
Muita boa sorte nesta nova etapa!!!
Um grande abraço