Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de julho de 2010

VIAGEM COM CRIANÇAS - PARTE II

Bom, depois da estrada e do hotel vem a alimentação.
Eu não sou chata com isso, mas vamos conversar, como é difícil encontrar pratos "saudáveis" pras crianças, quanto maior a cidade pior a oferta. Minha filha é bem seletiva na comida e passo o maior sufoco nas viagens. Ela não gosta de batata frita, não come frango e muito menos suporta os sanduíches do Mac. O melhor a fazer nessas horas é procurar um restaurante self service, mas nem sempre temos um por perto, aí eu fico "catando"uma coisa aqui e outra ali pra satisfazer a pequena.
Quando ela tinha 8 meses fomos pra Maceió. Minha salvação foi que ainda amamentava, pois a baixinha não quis saber das papinhas da Nestlé e no resort não tinha uma opção de alimentação pra bebês, tive que ir ao supermercado comprar uns legumes pra fazer sopinha na baby copa e recheei o frigobar do quarto de frutas. Já o Adriel adora as papinhas. Tanto doce quanto salgada, o que der ele come, menos mal porque isso nos salva de muitas situações nas viagens.
Pra deixar no hotel, tenho sempre maçã e banana que são frutas bem fáceis de manipular, mas não rola sair com isso na bolsa, então no shopping geralmente compro um milk shake que a Kiara adora e sustenta por algumas horas.
Ano retrasado, fomos passar 2 meses no Canadá e mais uma vez passei por difículdades. A Kiara é carnívora, no avião ela só comeu um pãozinho que eu insisti com a comissária pra me arrumar. Na época ela não tomava leite de vaca, pedi com antecedência à companhia aérea que providenciassem suco de soja (já que é proibido entrar com líquidos em voos internacionais), mas disseram que isso estava fora do cardápio deles. Literalmente, a menina passou 12h a pão e água, tadinha, o pior foi dormir sem o mamá dela. Mas esse é assunto pra outro post, sobre viagem de avião.
Se eu pudesse voltar atrás, teria levado pro Canadá fubá (pra polenta que a Kiara adora), feijão preto e farofa pronta (ela parece nordestina, só come com farofa). Eu revirei Vancouver e não encontrei nenhum desses itens. Pedi ajuda até no orkut, onde tem uma comunidade sobre a cidade. Portanto, quem vai pra longe, vale levar um kit de primeiros socorros gastronômicos rs. Criança não entende que um dos objetivos de uma viagem é provar novos sabores e texturas conhecendo a culinária local e assim enriquecer ainda mais o seu conhecimento sobre o local em questão.
Acho que é isso. Se alguém tiver contribuições sobre o assunto, basta deixar comentário, ok?!!!
bjks

5 comentários:

Re disse...

Acabei de ler o "viagem 1 e agora o 2, eu tb tenho dois filhos e sempre que viajamos é isso, os meus filhos ja são grandinhos, mas o Pedro de 7 anos sempre passou mal no carro, antes eu dava dramin, mas hoje não dou mais, tenho pena ele fica todo molinho porque abaixa a pressão e dependendo de onde vamos perde todo o passeio, então levo a famosa sacolinha e ta tudo certo, rs...
Super bjsssss

Juju disse...

Viviam vc está me saindo uma especialista em viagem com crianças..rs
Fiquei de cara da sua pequena não gostar de batatinha...que orgulho alheio!!rs
Beijocas

Flávia J. F. Solís disse...

Olá!
Viagem com pequenininhos eu entendo, rs! Só que eu sou do tipo que ignora "um pouco" as dificuldades (e meu marido do tipo que ignora completamente, rs!!!). Respiro fundo e VOU! Menos de um mês minha bb já viajou de carro, com 4 meses viajou a primeira vez de avião, com uns 7 meses fez uma viagem loooonga de carro (Zurique-Paris). O negócio é mesmo ter só o essencial do essencial na mala. Para bebês que vão na cadeirinhas é essencial dar uma paradinha a cada duas horas de viagem, motivo pelo qual não tenho mais muita vontade de viajar de carro (agora ela tem 1 ano e meio). Eu não pego no colo não, jamais!, no carro. Aqui é uma multa ferrada, com razão. O dia q abalrroaram de leve nosso carro eu "senti" o que significaria estar com ela no colo, jamais conseguiria segurar e poderia ter acontecido uma tragédia. Pra quem viaja de avião com criança com mais de uns 8/9 meses é importante levar uns brinquedinhos que distraem. No meu caso o cecular carregado de vídeos dos desenhos preferidos é fundamental. Salvou nossa viagem pro Brasil que foi durante o dia (ou seja, ela foi acordada o tempo inteiro - uma criança de um ano de idade 12 horas num avião, sente o drama!!). Acho que são essas minhas dicas e experiências, rs.
Beijos e parabéns pelo blog!

Special' mom disse...

Oiii sempre leio seus post, não comentei ainda por que sou novata rsrs no blog, mas adoro os assuntos!
Meu pequeno tbm é assim, quando viajamos o leite de cabra e o carazinho não podem faltar!!!
Agora chocolates, frituras é a paixão dele, mas me sinto um pouco culpada por deixa-lo "mergulhar" fundo nos doces da vida. Que orgulho da usa filha adorar frutas pq aqui frutas é sinônimo de cara emburrada

bjoss

Simplesmente Luísa disse...

Não pretendo ir tão cedo ao Canadá, mas é sempre bom saber dessas coisas. A ideia do fubá é ótima, dá pra fazer várias coisas!!! Eu tb passo apertado c a minha filhota pq ela tb não é fã desses lanches. Ela até q come um subway e uma esfiha do habibs, mas na dúvida, eu escolho massas! Ela ama! Spoletto é o que há pra ela...come tudinho.
Beijocas!!!